Mensagens

Imagem
Neste dia em que se celebra o #DiaDaMulher e que, por uma vez, não sei bem porque raio se celebra o Dia da Mulher, pois tenho para mim que a mulher está no topo da pirâmide evolutiva de todos os seres vivos de que há memória e não precisa, portanto, de dias especiais de comemoração coisa nenhuma, mas enfim, já que se instituiu este dia eu, muito humildemente e em homenagem a todas as mulheres, gostaria de partilhar com as minhas amigas e os meus amigos a memória desta senhora que para mim simboliza, digamos, a mulher no seu mais sublime estado de capacidade, coragem, amor e visão da humanidade: Dorothy Day.
Pouco conhecida, obviamente, mas que eu insisto em "dar" a conhecer a quem estiver interessado e, aliás, relembrar que o Papa Francisco, aquando da sua visita aos EUA e numa sessão pública em que ele homenageou algumas figura heróicas da América, surpreendentemente referiu o nome desta grande heroína da humanidade.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dorothy_Day

Imagem
Parabéns, Carlos. Chegámos à idade da cachaça, dos sabores fortes e  intensos. E como as melhores aguardentes, saberemos inspirar força e adstringência necessárias ao andamento perene das nossas vidas. Somos lima-limão suficientemente fresca e suave para poder olhar o que lá vem ao longe. Porque uma boa aguardente tem de saber chegar a velha, tem de saber guardar o tempo que passa e ganhar o tempo que vem. Um abraço.
Imagem
“Don´t think twice, it´s all right”
Olá Carlos, esse Natal? Espero que tenhas tido um bom Natal. O meu correu dentro da normalidade, correu bem, embora tenha vivido um bocado de nostalgia de quando não tinha o Natal a correr dentro da normalidade, de quando passava essa noite a ouvir Pink Floyd e a tentar perceber a ordem das coisas. Ou a desordem.
Neste Natal, Carlos, recebi um disco de Bob Dylan, prenda da Catarina. “The Essential Bob Dylan”. E lembrei-me mais uma vez de ti, amigo, dos teus discos de vinil, das nossas conversas perdidas no tempo. Num tempo em que éramos apanhados pelos momentos do agora e sempre. A vida era aquele momento especial e, olha, continua a ser, se calhar. O “agora” é uma coisa constante, perdura. Que confusão, amigo. São duas da manhã e eu estou a ouvir Dylan e lembrei-me de ti. Feliz Natal, Carlos.

Bob Dylan - 100 Essential Recordings (AudioSonic Music) [Full Album]

Imagem
Ao meu amigo Carlos Manuel Gonçalves Reis. Onde quer que estejas, mereces mais do que todos este Nobel Prize ao grande poeta das canções de todas as lutas, todas as filosofias, todos os romances e tragédias. Um abraço.

"Maybe your friends think I'm just a stranger
My face you'll never see no more
But there is one promise that is given
I'll meet you on God's golden shore"


Imagem
Bravo Mr. Robert Allen Zimmerman. 
O senhor vá caminhando e quando passar aquela igreja vira na primeira à esquerda e ande mais uns cem metros que aparece logo  uma loja. A esta hora pode ser que ainda esteja aberta.
E lá fui eu andando, até que passei pela igreja e a rua estreita lá estava, quietinha, à minha espera. Caminhei mais uns cem metros e, por fim, avistei o senhor Veiga, que se aprestava a sair da loja, segurando na mão um jarro transparente cheio de vinho branco a embaciar o vidro. Vai fechar? Não, faça o favor de entrar. Pedi que me aviasse uma garrafa de água e uma coca-cola para me abastecer do açúcar que a Labruja me ia exigir. O senhor Veiga, depois de me dar o troco, percebeu o ar de espanto que ainda sobrava na minha cara. Sabe, tenho um compromisso com uma senhora de noventa anos que vive sozinha em casa. Todos os dias por esta hora levo-lhe um jarro de vinho e fico lá um bocadito a conversar com ela e a comer qualquer coisa.
Imagem
Tinha saído de casa relativamente cedo, por volta das oito horas da manhã, no primeiro sábado de setembro, carregado com uma mochila às costas que pesava para aí uns bons dez kg, e de modos que me deitei ao caminho e só deixaria de andar quando me achasse em plena Plaza do Obradoiro, em Santiago de Compostela. Ia visitar o Apóstolo Tiago Zebedeu. E assim foi.De tal modo foi que cheguei a Compostela no segundo sábado do mês de setembro. Não fiz diário, não me preocupei com dicas ou segredos. Não levei mapa, apenas segui as setinhas. E fui andando desde a porta da minha casa, passando por umas alminhas ali para as bandas de Perosinho, já em pleno “caminho de Santiago”. Nesse primeiro dia andei muito. Caminhei mais de quarenta quilómetros até ao Mosteiro de Vairão, em Vila do Conde, onde pernoitei. E assim fiz várias etapas do “caminho”. Caminhei, descansei, pernoitei e voltei ao caminho, às pausas, aos episódios esquisitos, às capelas, às catedrais, aos miradouros, ao asfalto e aos cami…