Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2008

raindrops

Obama-me santo deus

Mal sintonizei o canal 29 da Zon e já o Benfica estava a perder. E bastou o tempo que medeia o simples acto de meter a frigideira no fogão, deixar aquecer o óleo e abrir o pacote de batata pré-frita para que o meu glorioso Benfica já estivesse a enfardar 3 golos. Raio de vida a minha! Bem sei que o clube não quer continuar na UEFA porque aquela competição serve apenas para encher os bolsos da Controlinveste. Apenas dispenso os exageros. E já agora, não sei como ficaram os clientes da Meo que pagam o serviço da Sport TV. Pois é, boa pergunta. A Controlinveste quis abanar com a Meo, oferecendo o jogo em exclusivo a todos os clientes Zon, mas esqueceu os clientes que pagam mensalmente para ver a Sport TV, não obstante serem clientes da Meo. Pois, adiante.
Dizia eu, porém, que por ventura alguém importante disse aos jogadores para perderem. E só o Bynia não entendeu a mensagem porque foi o único que jogou no seu ritmo, teve um cartão amarelo, fez faltas e assistências quase boas. Os resta…
Outono profundo. Hoje deu-me para escrever...
Ouvindo "After Hours" de Velvet, "If you close the door the night could last forever"...
Bom, ouvindo Velvet, perdi a vontade..."I´d never have to see the day again."

de.profundis

Imagem

coexistência da ignorância

Este post de Helena Matos tem muita pertinência e traduz também um certo pensamento que acossa muitos portugueses sempre que ouvem declarações demasiadamente maquilhadas com léxico de outro nexo. Na verdade, hoje por hoje, é comum, desgraçadamente comum, ouvir-se tanta baboseira e discurso para boi dormir. Não sei, às tantas dá a impressão que de repente, e do nada, surgem sentenças disparadas com tamanha letalidade e que, ou não estamos atentos e assertivos, apressando-nos a colocar o dedo no ar e corrigir (como fez Helena Matos), ou corremos o risco de acenar com a cabeça de forma ingenuamente afirmativa, dando assim toda a credibilidade a este tipo de novos tribunos de enciclopédia.

quadrilha revisitada

A partir da deliciosa "Quadrilha" de Carlos Drumond de Andrade, podemos agora ver que quadrilha temos nos dias de hoje:

ah.valente!

"Eu já tive três presidentes de câmara que me tentaram tirar a vida mandatados pelo chefe fascista Alberto João Jardim"


O deputado regional José Manuel Coelho foi suspenso porque usou da palavra para chamar de tudo àquilo que deve ser chamado de tudo. E para que não houvesse duvidas, exibiu uma bandeira com a suástica, ícone Nazi, para sintetizar enfim, a verdadeira prática política e social que grassa naquela ilha. Bom, não conheço o Homem, mas confesso que simpatizei com aquele discurso. Foi suspenso o desgraçado. Não serve. Não deve ser daquele tipo de deputado, o danado, que vai à assembleia cagar postas de pescada e depois, à noite, vai jantar uma boa mariscada com os adversários políticos da tarde. Entretanto, gostei da afronta.

Veja aqui o que dá pra ver

faz esse !

Imagem
Sim senhor!, um preto a governar a América. Quem diria! Num país onde, há 40 anos, se vivia um autêntico estado de direito exclusivista. Racista, há que dizê-lo. Pois eu acho que Luther King e Malcom X (e muito provavelmente J.F.Kenedy) devem andar a fumar marijuana lá pelos céus, tentando perceber se o que estão a ver na terra é verdade mesmo. Um preto a mandar no poderio branco... Quem diria.

nota: imagem colocada propositadamente por solidariedade com os blasfemos que já andam a afirmar que afinal o gajo não é preto.

o meu mealheiro é maior do que o teu

Nos tempos da deriva intervencionista, provocada pela mão revolucionária de Abril, nacionalizou-se a banca em prole de um socialismo que defendia o povo. Depois veio a revolução neoliberal da economia. Bancários a nascer como cogumelos, enriquecendo graças à especulação financeira. Nos dias que correm, a alta finança está moribunda e o Estado vai a correr nacionalizar essa massa falida. Ou seja, Marx tinha razão e o Socialismo é a verdadeira aspirina dos capitalistas. Por mim, era falência e prisão por gestão danosa e abusos de confiança para essa cambada de vendedores de magalhães e magalhonas que é o que tem sido, em boa verdade, toda essa geração de ex-ministros e secretários-de-estado do mega-bloco-central que tem andado a chacinar o nosso país nos ultimos 20 anos.