Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2005
Hoje tive tempo para ler alguma coisa da blogosfera. Não muita. E percebi que, de vez em quando, se faz “psicanálise blogosferica”. Uns porque, de facto demonstram ter sentido critico, outros porque, afinal, experimentam novas sensações e debutam em teses de doutoramento sobre tudo e coisa nenhuma.
Estamos pois perante um caso, a psicanálise blogosferica, para Júlio Machado Vaz comentar no seu excelente Murcon que a elite teima em ignorar, entretida que anda a trocar banalidades, como sempre e desde sempre.

Também recebi o tal vídeo que mostra a agonia a que os animais são condenados por via das suas magnificas peles. Terrível, é um facto. Parece-me simplesmente que estão a perseguir Fátima Lopes, não sei. Conheço pouco da senhora mas acho que a montagem, no tal filme, acusa muito fortemente uma senhora que é só um dos poucos casos de sucesso internacional. Mas aquilo é péssimo, reconheço.

ao que parece

Hoje foi um dia duro. Porque há uma crise tão grande e os restaurantes continuam cheios, o casino de Espinho a abarrotar e as estradas municipais completamente congestionadas.
E hoje foi um dia duro.
Há uma crise tão grande, do tamanho daqueles estúpidos invólucros dos ovos de chocolate. Porque um ovo de chocolate merecia mais respeito, deveria estar embalado em papel mais austero. Porque o dinheiro existe. E a crise também.
E hoje não me apetece nada falar nos desfavorecidos. Vivam os lindos ovos de chocolate e as amêndoas da Arcádia.

E também ouvi uma história que falava da última palavra que uma velhinha murmurou antes de falecer: “ Ases”, dissera a moribunda.
Os filhos dirigiram-se ao casino, a conselho de uns amigos, e perguntaram o significado de semelhante coisa. Feitas as apresentações, disseram-lhes que a velha era uma viciada na banca francesa.
Tinha sido feliz a velha e, ao que parece, morrera a sonhar.
Eu um dia vou morrer e quero muito morrer a sonhar.
Se eu, um dia, passasse na tua porta e te atirasse um beijo cheio de brilho, tu eras capaz de mo devolver. E se eu, um dia, pegasse no teu beijo e o encaixilhasse entre barras de ouro, ele, por certo, brilharia ainda mais.
Na verdade, esse beijo perdido anda a sonhar com um pôr de sol assim. E um beijo ensolarado é como um refresco numa tarde quente de verão.

[meu deus que piegas]

lost highway (reloaded)

Imagem
Reedito aqui este post de Fevereiro de 2004. Ele tem sido o responsável por muitas entradas a partir do "Altavista". Gente que procura esta música. E procura bem! This is not a lost highway!


Nine Inch Nails - The perfect drug

i got my head but my head is unravelling
cant keep control can't keep track of where it's travelling
i got my heart but my heart's no good
you're the only one that's understood

i come along but i dont know where you're taking me
i shouldn't go but you're wrenching dragging shaking me
turn off the sun pull the stars from the sky
the more i give to you the more i die

and i want you

you are the perfect drug
the perfect drug
the perfect drug
the perfect drug

you make me hard when i'm all soft inside
i see the truth when i'm all stupid-eyed
the arrow goes straight through my heart
without you everything just falls apart

my blood just wants to say hello to you
my fear is warm to get inside of you
my soul is so afraid to realize
how every li…

vu (heroin)

Imagem

weeeeeeeeeeeee

Se um dia todo este ruido terminasse eu ficaria louco. Porque do barulho se constroi a certeza de que existimos. E tantos gritos oiço que nem me importa ouvir o teu. Chuta aí o teu grito, que pode ser de revolta, de amor, de dor ou de outra coisa qualquer.
Gritar faz bem.
Deixemos o silêncio viver a sua utopia. O silêncio acusa-nos, com o dedo em riste. Quem pede o silêncio está claramente a enganar-se. Gritar é, por si só, o orgasmo da nossa existência.

ficções

Gervásio descia a rua apressado. Trazia no bolso uma pistola muito bem guardada em papel de embrulho. Parecia uma encomenda postal. E não tinha custado assim tanto dinheiro. Uma pechincha fácil de encontrar, de ter, comprar, possuir. Era o poder, inteirinho!
Olhava a gente que passava e sentia-se grande. Olhar que o mirasse jamais poderia imaginar as razões daquela expressão triunfante. Gervásio tinha uma pistola. Doravante, lá no bairro, a malta vai passar a piar fino e os bófias já sabem o que os espera.
Gervásio acha-se imortal. Percebem? Imortal!

elas e seus amores

Descia a rua tranquilo e pensava nas andorinhas que resolverão aparecer, não tarda. Pássaros que voltam para os seus amores de verão, que tarefa de amar tem de ser cedo preparada. Pássaros que nos ensinam que o preto é belo e combina com a cor piegas do namoro.
Eu sou dos que vêem romance nas andorinhas. Elas encontram-se e retomam-se cheias de libido e força. Uma força que as faz voar para cá.
E eu a descer a rua ansioso por elas e seus amores.

dias assim

Dias assim, que passam a bulir, fazem-me pensar na melatonina. A melatonina é uma hormona segregada pela glandula pineal. Reduz o stress e retarda o envelhecimento. A melatonina é preciosa. Pois é!

eis o teu rumo (destino:campeão)

Imagem
foto tirada aqui

natureza reles

O início da tarde trouxe-nos a grande notícia de abertura dos telejornais domingueiros: dois polícias assassinados na Amadora. Depois foi ver os repórteres no local e os velhos testemunhos de sempre, a miséria. Depois foi ouvir um polícia a descambar no sistema, nos bandidos. Amanhã iremos ver multidões nos funerais dos pobres polícias.
No meio daquilo tudo eu reparei na arquitectura daquele pardieiro, daquele bar. Facilmente imaginei uma história, a negro, daquilo tudo. Um bar assim, montado numa casita de subúrbios, com marquises feitas a tijolo de sete e vidraças tapadas com cortinados da feira dos tecidos, onde se albergam putas baratas que recebem todo o tipo de gente, policias também, que rapidamente são assimilados pela miséria do negócio fácil. Um bar assim, cheio de ilegalidades existe porque nós somos assim. Não adianta muito ouvir os sociólogos do costume. Bastaria um pouco mais de decência moral no Estado para que atentados destes não existissem. A nossa espécie de povo bo…

post excitado

O calor trouxe todo o tesão da vaidade e da exuberância (o outro ou se tem ou não se tem), e eis que surgiu novo “boom” de prémios sobre a blogosfera portuguesa. Uma espécie de quinta das celebridades cibernética, pois claro. E há júris e jornais a patrocinar a coisa. E há jornais que falam de blogs como aquele jornalista que fez uma crónica sobre uma ópera que, entretanto tinha sido anulada. E só falou bem o gajo. E só falam bem, os jornais! E eu aqui a fumar um ventil, que ainda sou fiel, e a ver a fanfarra em alta. Uma alegria esta gente!
O que é nacional é bom, sim senhor, mas o pior da "linda" gente é a mania de se julgar mais que a gente.
E pronto. Este post não serve para nada. Boa noite.

simples

Este blog sempre foi o meu blog. Aqui falei quase sempre de mim e sobre o que me rodeia e me marca. Obviamente há muita gente que defende a necessidade de se proteger a vida pessoal enquanto blogger. Eu nunca o fiz.
Neste momento estou a colaborar num projecto relacionado com qualidade de vida. Dormir bem é coisa importante e eu vendo soluções para esse efeito. Vendo, ouviram bem. E se eu faço questão de o dizer aos meus amigos "cá de fora", porque não dize-lo aqui também?
Há quem escreva sobre politica, outros escrevem sobre poesia e outros ainda escrevem sobre sexo. Eu escrevo sobre mim. Neste momento o que tenho a dizer é isto: cuidem-se, pensem na vossa qualidade de vida . Neste caso muito particular eu posso ajuda-los. Simples.

por falar em medicamentos II

Há uns tempos atrás o governo espanhol incentivou os seus cidadãos a adquirirem um colchão ortopédico, realmente ortopédico. Evidentemente que a questão foi colocada: o governos está a servir a industria dos colchões espanhola. Aqui também se falava dos interesses dos grupos económicos, tal como Vital Moreira o faz hoje no Público. Na verdade o que o governo espanhol percebeu foi que com aquele apelo seriam capazes de poupar milhões de Euros em medicamentos que o sistema de saude espanhol tinha de suportar derivado a uma péssima postura do sono dos seus cidadãos. Em Portugal passa-se o mesmo. Só que os nossos governos andam preocupados com outras questões. E você? já pensou nisso?

por falar em medicamentos

Imagem
Está na ordem do dia a discussão sobre venda de medicamentos em supermercados. Proponho que reflitam sobre a forma de gastar menos dinheiro com medicamentos. Se pensarem bem no facto de poderem beneficiar da acção do IVD ( Infra Vermelhos Distantes) durante o sono, muitas daquelas enxaquecas, dores de cabeça, dores de costas, lombalgias mecánicas, deixam de ser o seu grande problema. Se pensar bem nisto, certamente que não vai deixar de querer saber um pouco mais sobre o photon platina.
Não tenha duvidas que isto é qualidade de vida. Os médicos sabem do que falo, só que eles são como o cangalheiro: não quero que ninguém morra mas quero que a minha vida corra.
Corra lá para o seu médico que ele receita-lhe mais um medicamentozinho para a sua dor de não se sabe bem o quê. Ele agradece.

porque eu quero que sabia disto

Imagem
...faço questão de o informar que existe um aparelho articulado electrónico, e que eu vendo, e que não tem nada a ver com aqueles que a classe média encomenda nos shopings a preços do outro mundo. E porque o mundo é o mesmo para todos, venha conhecer esta maravilha. Tem ali o meu mail. Abraço.

PS: E temos uma loja aberta na Rua da BOavista, 508, no Porto. Ah, e se lá for pergunte sempre por mim. Ao faze-lo está a evitar que eu tenha de ir para Espanha ou para Londres servir cafés idiotas a clientes que são como o café deles.
clique aqui para ampliar.

alegria e drama ( não me vou pôr aqui a colar imagens de Dragões esfolados, podem sossegar)

Se há uma coisa que eu gosto de ver, é quando o Porto, o clube, perde. Palavra de honra!Agora uma equipa que gosto de ver perder, levar uma goleada assim, já não é bem a mesma coisa. Digamos que gostei da derrota mas não apreciei assim tanto o peso histórico da mesma. Muito se vai falar sobre o sucedido e os portistas vão sofrer nos seus empregos, nos seus convivios, o escarnio que uma derrota destas alimenta. Eu bem sei que muitos merecem. O futebol é assim, é alegria e drama.

olá

Em boa verdade este blog anda um tanto diferente. Calminho. Quase parado. Mas eu não desisti!

a diferença existe

quando poucos conseguem fazer tanto!

quando as costas sofrem

Imagem
O primeiro passo será adquirir um bom aparelho terapeutico para garantir uma boa postura enquanto dormimos. Fale comigo.Eu tenho as melhores soluções para si

última vontade

Imagem

hoje sinto-me diferente

Trago comigo uma gravata verde. Há muito tempo que não usava uma gravata assim. Hoje sinto-me diferente. Há cores que, da sua leveza, nos refrescam as manhãs frias de Inverno.

da natureza das coisas

o food-i-do volta, após o furor eleitoral, a propor-se um sitio modesto, pequenino e cheio de trivialidades e outras coisas de partilha. Frases soltas, coloridas às vezes, e a "minha" música. Espero não defraudar os novos visitantes, e creio bem ser esta notícia do agrado dos "velhinhos".

e depois disto

E depois disto, da bola e das conversas da bola, do fecho e do último copo, apanhar frio. Um frio que me cortava a visão e me fazia notar que tinha orelhas. E depois disto o regresso a casa, cheio de olheiras e com os cabelos sem norte. Depois disto uma cama quente e o vento, lá fora. Depois disto, barba feita, o café, as leituras e os primeiros mil cigarros. Depois disto, um dia que nasce frio e belo, como um deus nórdico.
Depois disto, a luta.