segunda-feira, 29 de setembro de 2003

Niilista Optimista

Este gaijo parece ter aquela coisa gira a que eu chamo "PINTA". E por concordar com tudo o que diz nos ESTATUTOS, confesso, desde já, que quero estar na condição de Blogue linkado apenas e só por ter elogiado o Blogue dele. Tenho dito.

Altino Torres

Segunda

Acidentalmente consultei a minha mail box do clix e encontrei la um simpático e-mail dos do"setezero" a dizerem que sim senhora, conhecem o meu Blogue. Fiquei contente. Para além daqueles "mass mails" dum Blogue qualquer (ainda por cima sem assunto, sendo que o assunto era sempre o mesmo -raios, que má educação mandar mails sem assunto-) a promover a esquerda e tal...- mas o que é isso de esquerda? Isso é tema para os Pachecos e para os Blocos- raramente recebi qualquer impressão de que estaria, porventura, a ser alvo de qualquer tipo de atenção cá da comunidade. Mas voltando aos optimistas "bermelhos", estava eu a dizer que apreciei a capacidade de não ignorar que estes dois obreiros-de-um-pensar-Benfica-diferente mostram cada dia que passa, seja nos comentá¡rios que fazem a outros blogues, seja, neste caso, na simpatia que tiveram para comigo.

Bom... e assim começa a semana, meio estafada e gasta por via de todos os problemas que existem e acrescida de mais um, também estafado, fórum na TSF sobre o desemprego e a economia e a má vida que por cá levamos. E assim lá tenho eu que aturar os Bancos e os credores e os clientes que não compram (e os que não pagam) e tudo adiam para melhores tempos. Consola-me o facto de ver a alegria da minha filha, diluida na ansiedade, à  espera do dia 20 para rumar a Olíssipo e deleitar-se com o seu ainda grande í­dolo da sua linda adolescencia: Robbie Williams!!! Eu bem lhe mostro os meus Tom Waits e o velho Lou, mas ela ainda não lhe pega. Lá chegará o dia, se Deus quizer. De maneiras que vou comer uma bucha e fumar um "El Ventil Matador".

Altino Torres

sábado, 27 de setembro de 2003

Outono

Finalmente do Outono aparecem nuvens e um certo anoitecer que tardava em chegar, parecendo um Verão eternamente longo, a somar ao caso do helicóptero (que titulo mais giro para um caso) que associa a incendios, que associam a Verão...irra que o Estio não mais acaba, não deixando espaço para a chuva, o frio e as castanhas , meu Deus daqui a nada é Natal e a minha roupa de Inverno continua no armário (que nem aqueles gays que teimam em de lá não sairem). De modos que sendo hoje Sábado eu cá apareci a escrever algo, nada de muito substancial. Nem sequer de foro jornalistico (ai esse encontro de bloguistas a tecerem teorias universitárias sobre a blogosfera), nem de outro tipo qualquer. Apenas uma data de coisas sem nexo, mas que saem daqui de uma forma totalmente desbragada e desprovida de interesse qualquer. Enfim eu vou jantar uma sopinha e vou sentar-me ao pé dos meus amigos a torcer pela vitória do Vitória. Eles, os meus amigos, são os campeões. Por isso se o Vitória perder eu sempre posso beber uma cerveja junto de campeões, esses portistas de papo cheio que a todos ganham, seja de que jeito for.

segunda-feira, 22 de setembro de 2003

O Demo que o carregue...

Esta coisa de ser benfiquista e de ter sempre esperança e acreditar tem que acabar um dia. Estamos cansados - eu estou - de assistir sempre à mesma história: ou jogamos mal e somos cilindrados ou jogamos bem e somos roubados ou jogamos assim assim e acabamos sempre por dar, do verbo dar, isto é, definitivamente. Não me consolei ao ler os do "seteazero" porque nem tenho biblioteca nem me apeteceu sair do jogo antes do final. Limitei-me a encarar os portistas do meu café habitual e a tirar cigarros, compulsivamente, daquele maço com gordas letras pretas a pronunciar morte e desgraça e tal. Enfim, começo a semana como todas as semanas: Benfica a perder e o meu semblante de vitelo mal morto a denunciar isso tudo. Portanto tou Food_i_do.

domingo, 21 de setembro de 2003

Dia Benfica

Hoje o Benfica vai às Antas -falta cerca de hora e meia- e apetece desejar uma coisa diferente dos ultimos anos. Sim já passei pelo Nietzsche & Schopenhauer e já aquilatei do excelente optimismo deles. Aprecio muito a escrita deles (eles jamais saberão disso) e, seguindo a teoria deles, ainda não estou a perder dois a zero porque moro em Gaia -logo estou a Sul do Douro- . É óbvio que não estou nada optimista, mas espero sempre alguma surpresa. No mais, olhem: que seja "un bon match". Por mim, vou de cachecol encarnado para o café habitual, sentar-me ao pé dos portistas habituais a beber cervejola e mainada...

Altino Torres

domingo, 14 de setembro de 2003

Sendo que

Domingo, calor, sossego. Nada para fazer, nada para escrever e cansado de andar a ler as sempre estafadas teorias, ora económicas ora politicas, dos mil e um bloguistas atarefados em escrever. Assumo que vou ao Abrupto não para ler o que diz Pacheco - não me interesa e não concordo nada com o que ele possa escrever- mas sim para apreciar as excelentes imagens que ele aposta naquele sitio. É um caso muito raro em que me permito apreciar tal estética, apesar de ser algo que vem de alguém de quem a ética me afasta, me apela a ignorar. De maneiras que está tudo bem, desde que não consideremos os males do dia a dia, aqueles males originados pelo trabalho, as contas a pagar e os filhos a regressarem à escola com todos os custos que isso importa. Enfim, são maleitas boas porque fazem a vida girar, mas são maleitas na mesma, ainda por cima numa época em que nunca sabemos se iremos ter o dinheiro necessário para pagar as prestações da casa. Trata-se pois de um tempo sem previsão optimista possivel. A menos que se tratem de funcionários publicos que esses recebem sempre a horas boas. Nós os que temos que produzir para receber, os que temos que facturar e cobrar bem cobradinho, andamos num desespero tal, porque enfrentar um banco credor, aturar um fornecedor ainda mais desesparado que nós é obra dura. Tentar sobreviver nesta época, nós os pequenos empresários que tudo investimos no nosso próprio posto de trabalho, que tudo fizemos para dar o tal grito de independencia, temos agora o desconforto e a nostalgia de não termos um patrão, um chefe de departamento ou coisa que o valha, que nos conforte e diga que mesmo estando tudo mal, no fim do mes, o dinheirinho vai ser depositado na continha da Caixa Geral de Depósitos. E assim tudo gira bem, tudo funciona. As contas pagam-se e o sorriso anda sempre de orelha a orelha. Mas nós os que apostaram em empreender, em criar, em produzir, nós dependemos sempre do mercado e das suas nuances. E agora o desabafo só pode ser este: esperar por uma luz, um negóciozito, ou emfrentar o colapso, a falencia e a indispensável mudança. O começar de novo, o renascer das cinzas e tentar esquecer a nossa cria, a nossa empresa que falhou porque há guerras e há bolsas e há finaças e não há nada.
Que dizeis a isto, vós que muito bem falais dos Bushs e dos Talibans? Que se vos afigura dizer em relação a este autentico colapso que se aproxima?

Altino Torres

quinta-feira, 11 de setembro de 2003

Já me esquecia

...Pois. Como eu sou um gaijo food_i_do, tenho uma proposta decente a fazer-vos. É que eu sou angariador de contratos de Voz Novis, isto é, querem poupar ao telefone? Então vá: Se tens uma empresa ou és um ENI contacta-me. Não consigo mostrar-te como podes emagrecer mas garanto-te que poupas uns trocos em chamadas telefónicas. Vá lá não telefones, escreve. TUNGA.

Altino Torres

De volta em valsa lenta

Pos é pois é, finalmente estou de volta (finalmente para mim ). Isto de manutenção de blog, embora dum gaijo, tem o que se lhe diga. Não há ninguém para meter textos aqui e também não quero. Este Blog está em mudança de conceito. Deixa de ser uma coisa assim assim, passando a coisa dum gaijo. E portanto a partir de hoje o blog passa a ser ainda mais reles.

De maneiras que vou almoçar. Passem bem e escrevam (afinal 75% dos que andam a ler blogs têm um blog). Ai o caragu.

Altino Torres
Web Analytics