foge de mim...(reload)

Há momentos assim, um sol generoso a convidar para um bom par de dias de descanso e descontracção. Mas há momentos de recusa e aversão. Quando tudo nos convida à alegria, por tantas coisas boas que temos, quando os astros se enquadram num movimento lógico, perfeito, quando esta hora assume a cor dos gatos, ela aparece, teimosamente abrupta. Ela não precisa de saber disso para nada. Ela apodera-se de nós como credora aflita. Ela rebola-se no olhar, revela-se no sentir. Ela anda comigo, de mão dada, com algemas. Ela não me larga. Foge de mim tristeza.

Ronde des Princesses

Comentários

Mensagens populares deste blogue