chora-se

Ah, esta coisa de chorar! Eu choro muito naquela parte dos filmes mais dramática. Isso é que choro! De resto, essa coisa de chorar faz-me impressão. Chora-se por tudo e por nada. E agora ainda mais, por causa da tal, dessa cria mal amanhada que se chama crise. E chora-se ao ponto de já não haver lágrimas. Quem me dera chorar ao ponto de não haver mais lágrimas. Temo não as ter se calhar. E por isso custa-me chorar desses choros. Prefiro os outros. Montes de lágrimas saltando borda fora, bem naquele momento mais forte. Por exemplo, no resgate do soldado Ryan chorei. Aí sim. Foi um belo momento de incontinência lacrimal. Claro que depois fui mijar e passou logo. Uma mija esperta bota as coisas do coração no devido lugar. E aqueles que choram de mais na mesa do café, na paragem do autocarro, na sala de estar ou na frutaria, esses, coitados, é deixa-los chorar e ir logo a correr mijar grande.

Comentários

alexia disse…
Eu choro de alegria por pertencer aos que não sabem absolutamente nada, porque terei vindo aqui parar?!Espera...vou dar uma mijadinha e talvez esclareça este acaso!

Mensagens populares deste blogue