marujo, eu

Eu hoje acordei virado para o mar. E quando acordo assim levanto-me muito depressa como se fosse mergulhar, como um garoto entretido na praia, indiferente ao vento que passa e à maré agitada. O mar parece andar brando e eu acredito que desta vez as ondas não são de tormenta. Serão lágrimas ou pouco mais, tormenta não. Apronto-me então, e estico-me muito para além dos meus ossos e tendões. Quero ver o que me traz o mar desta vez.

Comentários

Mensagens populares deste blogue