das minhas vaidades

Lembro perfeitamente o dia em que fui pai pela primeira vez. Não tinha carro e o Jorgito, um tio da minha mulher, levou-nos ao hospital de S. João no Porto. Recém casado, teso e puto, comprei uma kodak de cassete e deixei-me ficar nos corredores do hospital à espera de ser pai. A Catarina deu luta e acabou por cair na balança acusando uns bons três quilos e novecentos e dez gramas, cinquenta e dois centímetros. Era a minha filhinha que acabara de vir para junto de nós. Já no meu colo, beijei-a e senti uma felicidade única, num momento único.
Alguns anos depois veio o Alexandre e as sensações repetiram-se. Hoje a Cat já está na universidade e o Alex vai receber um diploma de honra e excelência em cerimónia a realizar na próxima sexta-feira. Os meus filhos são lindos! eu sinto-me lindo também. Eu sou pai e sou abençoado. Palmas para mim.

Comentários

maria_arvore disse…
Clap!Clap!Clap!
É contagiante de alegria saber que te orgulhas de ser pai. :)
Anónimo disse…
Você é espantoso!!!!
mariadarosa disse…
Palmas para si caro a.
Pelos seus filhos e pela vitória suada do benfica.
Anónimo disse…
Achei de uma ternura que o meu parco saber não consegue exprimir a agradavel sensação de ler este texto.E não te esqueces nunca , amigo, de dizeres alto e bom som o que escreves.Deus abençoou-te...porque se calhar tu mereces.
Saudações de uma espia
Gala disse…
é sempre bonito ver um pai orgulhoso dos filhos

parabéns a ti e à tua mulher

beijo*

Mensagens populares deste blogue