gordo outra vez

Eu ando a comer de mais. Estas viagens ao sul, atravessadas por longa estadia, fazem-me engordar, se bem que engordar é uma coisa que toda a espécie animal aceita de bom grado, menos nós, porque nós somos diferentes. Nós engordamos porque não sabemos engordar. As outras espécies fazem-no com uma sabedoria genética que impressiona. No meu caso, engordo porque não tenho tempo para emagrecer. Ando nesta azáfama de ganhar dinheiro e despisto-me por esses restaurantes oferecidos, esses casebres que me destratam e que funcionam quase sempre todos os dias e surgem em todos os lugares como cogumelos gigantes com longas chaminés e prósperas caixas registadoras.
Nos últimos dias já me sentei em belos manjares, porque saiba o leitor que na região do Oeste come-se divinalmente bem e bebe-se ainda melhor. E ainda por cima sinto-me cada vez mais apaixonado pelo Touriga Nacional. E quando um homem se apaixona pelo Touriga Nacional, e se não fizer entretanto umas caminhadas valentes ou se não comer ginásio à colherada, é certo que nele se verifica o inútil avantajar do pescoço, o imbecil embolar da barriga, o inchaço ardido das coxas e, pior ainda, fica com nádegas de gaja. Nada contra as nádegas de gaja, mas nas gajas!
Depois os queijos, os enchidos e os fumeiros tocam na mesma orquestra do Touriga e dançam-nos longas valsas de calorias ritmadas em compassos quaternários, para tornar mais longo o suplicio de engordar, e, mais ainda, ganzar-nos o pensamento de tal forma que só ao fim de três semanas e meia é que damos conta de que já quase não conseguimos ver a tringalha a partir de cima. Uma desgraça!

Comentários

Gala disse…
"restaurantes oferecidos...." gostei dessa
e nem te vou perguntar o ke é a tringalha, ke raio de palavra ke nao conhecia lol
slm disse…
Mal sabe o Hild at Heart que para as gajas nem é preciso metade das perdições que descreveu! Uma aqui, outra acolá e pimba! Mais uns kilos aqui, longas camadas de celulite aqui e o bom velho pneu a escapar pelas bordas das calças!
Por muito que odeie o ditado "um momento na boca, uma vida inteira nas coxas", quanta verdade existe nele...
Filipe disse…
Sofro do mesmo mal. Tenho esse vício de gostar de comer e beber.
No final do inverno também não gosto do meu perfil, mas com a primavera e os dias maiores, começo a lutar e a comer à colherada umas caminhadas e umas voltas de bicicleta.
Excelente texto o seu.
http://filipe.pedrosodelima.googlepages.com/home
candida disse…
a tringalha!?:)

inscreve-te num ginásio e tenta fazer 1hora de tapete por dia em passo acelerado com o cardio frequencímetro ou então faz caminhadas ao ar livre. vais ver que resulta , é tudo uma questão de disciplina.

Mensagens populares deste blogue