procuro

Procuro.
Preciso de um instante mágico que me cale a dor de ser rascunho de mim mesmo.
Não me entendo! Só me vejo em leves traços e não consigo sair deles.
Quero ser obra acabada, colorida e não pesada, sentida.
Quero ser viagem terminada, tão longe me sinto nesta paragem.
Quero boleia porque perdi minha jangada. Não sei dela.
Os farrapos que me vestem assustam os passantes e nem os gatos vadios, meus amigos, me ajudam mais.
Estou dorido, cansado, mergulhado no meu desenho. Perdido...
Não sei que cor escolher, não sei que traço tomar.
Tenho de continuar.
Tenho de continuar...

Comentários

Irene disse…
Do melhor que tens escrito!!! Parabéns e ainda bem que não és obra acabada, senão nunca terias produzido este post.
maria_arvore disse…
The show must go on na peça sem guião.
jg disse…
Como o compreendo caro amigo, como o compreendo...

Mensagens populares deste blogue