nota desencorajada de um homem novo

Acendo um cigarro e afronto-me de fumo branco e espesso. Imagino o que vai lá por dentro. Pior do que aquela fornalha é o inferno que arde lá encima, no pensamento. Chamas invisíveis que se consomem deste fumo que inspiro. Um corpo atolado assim, quase sem munições, já gasto pelo “ardume” de estar vivo.

Comentários

Mensagens populares deste blogue